Conceitos

  • “Vislumbre que o processo eletrônico não vai mudar o processo judicial em quaisquer das suas esferas – cível, trabalho ou penal. O que ocorre é a apenas a troca de um suporte: abandona-se o suporte físico (tecnologia com mais de três mil anos – o papel), por um novo suporte, o digital, com pouco mais de meia década de existência. Se você absorver essa idéia, será mais fácil sua adaptação ao novo sistema processual. O processo será como uma revista eletrônica”. Carlos Rocha Lima de Toledo Neto, organizador.
  • O processo eletrônico foi concebido inicialmente para ser uma sequência de formulários preenchidos e de documentos inseridos, em sequência e numerados como o processo em meio físico. O processo físico contém as audiências e depoimentos reduzidos a termo, as perícias escritas e anexadas aos autos, as provas eram custodiadas ao tribunal ou depositadas sob a responsabilidade do seu possuidor. Vislumbro que a evolução do processo eletrônico será de um processo constituído de texto, áudio e vídeo, ainda numerados e inseridos os documentos eletrônicos na sequência temporal, disponíveis online às partes, aos operadores do Direito, bem como a autoridades judiciárias internacionais para facilitação da cooperação jurídica internacional”. Sabrina Rodrigues Santos, organizadora.

Continue lendo